quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Garcia Sodré dos Açores

Por Roberto Sandoval rlavodnas@hotmail.com ou rlavodnas@gmail.com

Introdução :
.
“Ilha do Pico - As manifestações sísmicas que ao tempo de sua descoberta ainda se sentiam com freqüência na Ilha do Pico , foram a causa de sua demorada colonização , apesar de sua grandeza em comparação com as demais Ilhas que formam o grupo central. Assim o primeiro pessoal , que enfim se resolveu fixar nesta Ilha , foi de colonos já estabelecidos na Ilha do Faial , ficando desde então até hoje sujeita aquela Ilha a esta e ao seu capitão.
Estabeleceram-se ao sul , no sítio onde hoje se eleva a Vila de Lages , construindo então a sua Ermida de invocação a São Pedro , que ainda hoje existe e foi a primeira levantada em toda a Ilha e por muitos anos serviu de paróquia.
Daqui , e a pouco e pouco , se foi estendendo a colonização por toda a Ilha , demoradamente e receosa das suas manifestações vulcânicas que por vezes se fizera sentir tão dolorosamente.
É a Ilha Columbi , ou Ilha das Pombas , que passou a denominar-se Ilha do Pico , nome que lhe vem por nela haver a mais alta montanha de todas as do Açores.
Está situada a 38º 25' de latitude norte e 19º 3' e 12'' de longitude oeste , tendo no seu maior comprimento 90 Km e 20 de largura média , com superfície de 496 Km2.
Dista 235 Km da Ilha de Santa Maria , 200 do Corvo , 195 das Flores , 160 de São Miguel , 60 da Terceira , 55 da Graciosa e 5 do Faial.
A Ilha é a mais montanhosa de todo o arquipélago , sendo dividida ao meio por uma elevada serra que corre em todo o seu comprimento , sobre a qual existem extensos campos incultos.
O seu terreno é vulcânico , rochante e pedregoso , desenvolvendo-se muito bem a vinha e que é a melhor de todas as Ilhas.
A costa é bordada de altos e alcantilados rochedos sem areal , nem sítio próprio para ancoradouros de navios.
As suas principais elevações são : o Pico , que deu seu nome à Ilha , com cerca de 2.500 metros de altitude ; e o Monte Caiado , a oeste da Vila de Lages , na serra da Prainha do Norte.
As suas principais pontas são : Espartel , Mateus , Arrifes e Nasquim , ao sul ; Calhau Grosso , à les-suleste ; Cela , Prainha , Mistério e Cabrito , ao sul ; Madalena e Monte , a sudoeste.
Em volta da Ilha há os seguintes Ilhéus : Madalena , dois ilhéus fronteiros à Vila que tem este nome e Prainha , que fica defronte à freguesia que tem este nome.
Compreende a Ilha três concelhos , cujas sedes residem , respectivamente , em :
Vila de São Roque , que é a capital , situada na parte norte da Ilha , à beira-mar , em terreno plano , quasi a meio.
Não é a mais importante Vila do Pico , mas nela está a sede da comarca da Ilha.
Foi creada por alvará de 1.542 e assim se chama do nome do orago da sua única freguesia.
A sua igreja paroquial , que já existia antes da creação da Vila , foi reedificada em 1.716 e transformada na actual Matriz.
Tem mais os seguintes templos : Igreja da Misericórdia , São Miguel Arcanjo , Nossa Senhora das Dores e Igreja de São Pedro d'Alcantara.

Compreende as seguintes freguesias :

Freguesia do Norte : que fica a 15 Km da sede e assim se chama por confinar ao norte com uma pequena praia de mar.
A sua igreja paroquial que era invocada à Nossa Senhora da Piedade , foi reedificada e, 1.787 , tendo já antes a invocação de Nossa Senhora d'Ajuda.
Tem mais os seguintes templos : Nossa Senhora das Dores , Nossa Senhora da Piedade e São Pedro.

Freguesia de Santo Amaro : que fica a 20 Km da sede , com a sua igreja paroquial invocada àquele santo ; é situada no extremo leste do concelho e tem um sofrível porto do mar.

Freguesia de Santo Antonio : que fica a 3 Km da sede do concelho , com sua igreja paroquial invocada àquele santo , fundada em 1.696.
Tem mais os seguintes templos : São Domingos , São Vicente e Madre de Deus.

Freguesia de Santa Luzia : que fica a 12 Km da sede , de terreno pedregoso e vulcânico. Sua igreja paroquial já existia em 1.723 e é invocada àquela santa.
Tem mais os seguintes templos : Nossa Senhora da Pureza e São Mateus.

Freguesia Vila das Lagens : é a mais antiga , rica e maior povoação da Ilha , sendo elevada à Vila no ano de 1.501.
Fica situada à beira-mar , nas faldas de um monte quasi cortado a prumo , sendo o seu porto rodeado de recifes e grandes lagedos , donde lhe vem o nome.
É esta Vila formada por uma só freguesia , cuja igreja paroquial é bastante antiga e invocada à Santíssima Trindade.
Tem mais os seguintes templos : Misericórdia , São Pedro , Nossa Senhora dos Remédios , Santa Catarina , Nossa Senhora da Conceição , São Sebastião e São Bartolomeu.

Freguesia de São João : que fica a 9 Km da sede do concelho , situada em terreno pedregoso.
A sua igreja paroquial é invocada à São João , começando-se a construir em 1.829 , para substituir a que em 1.726 se havia levantado e fora destruída. Antes , serviu de paróquia à Ermida de São João e a de Santo Antonio.

E , mais as seguintes freguesias :

Freguesia das Ribeiras , a 5 Km da sede.
Freguesia da Calheta de Nasquim , a 18 Km da sede.
Freguesia da Ponta da Piedade , a 23 Km da sede.
Freguesia da Vila da Madalena . [nesta Vila da Madalena que foi batizado o filho Manoel Garcia da Ressurreição e não no Faial como está indicado em seu testamento]
Freguesia das Bandeiras , a 6 Km da sede.
Freguesia da Criação Velha , a 2,5 Km da sede.
Freguesia da Candelária , a 8 Km da sede.
Freguesia de São Mateus , a 15 Km da sede.

(Do livro "História dos Açores" de Urbano de Mendonça Dias , edição da Agência de Obras Literárias , Vila Franca do Campo , Ilha de São Miguel , Açores , 1.924)”.



Cap. I - Nos Açores - Povoado das Bandeiras


Bartolomeu João e sua mulher Bárbara Manuel , ambos nascidos pelos anos de 1610 , naturais do povoado das Bandeiras da Ilha do Pico , Açores , deixaram os filhos seguintes :

Francisco João , que segue no capítulo seguinte

Bárbara

"As Bandeiras oferecem a quem a visita rico e variado património cultural construído e natural em que se destaca a Matriz, a Igreja Nossa Senhora da Boa Nova, dedicada à evocação de Nossa Senhora da Boa Nova, templo de três naves inaugurado em 1871, que foi muito fortemente atingido pelo terramoto de 9 de julho de 1988; a Ermida de Nossa Senhora dos Milagres, localizada no lugar do Cachorro; a Ermida de Nossa Senhora do Desterro, localizada no lugar do Cais do Mourato; a Ermida de São Caetano; o Império do Espírito Santo e o Salão Paroquial Pio XII".


Cap. II - Nos Açores - Freguesia da Madalena

Francisco João , natural da Freguesia da Madalena da Ilha do Pico , nascido pelos anos de 1640 , falecido na mesma freguesia em 6/8/1711 , casou-se aos 13/04/1665 com Maria Rodrigues , nascida pelos anos de 1645 , na Freguesia da Madalena , falecida aos 21/12/1695 na mesma freguesia , deixaram os filhos seguintes :

Francisco João (filho) , que segue no capítulo seguinte

Pedro João Rodrigues , nascido aos 18/04/1670

Luzia Rodrigues , nascida aos 18/12/1672

Antonio , nascido em 21/12/1675

Bartolomeu , nascido 11/10/1678

Observe que dois dos filhos , acima indicados , são de sobrenome Rodrigues , provavelmente Francisco João seria do mesmo apelido , bem como Bartolomeu do cap. I , além do que dois dos filhos de João Garcia Sodré , do cap. IV , tiveram em seus registros de batimos os nomes dos avô Francisco João (filho) também com sobrenome Rodrigues.


Capítulo III - Nos Açores - Francisco João (filho)

Francisco João , natural da Freguesia da Madalena , nascido aos 17/01/1666, casou-se , aos 6/2/1690 , com Maria Garcia , nascida aos 27/04/1669 , filha de Francisco Vieira Sodré , natural do Povoado das Bandeiras e de sua mulher Beatriz Garcia , natural da freguesia da Madalena , falecida aos 5/01/1696 ,  ambos nascidos pelos anos de 1645. Deixaram os filhos seguintes :

João Garcia Sodré , que segue no capítulo seguinte

Francisco , nascido em 1692

Maria Garcia , nascida em 1694

Manoel , nascido em 1697

João , nascido em 1700

Beatriz Conceição , nascida em 1704

Antonio , nascido em 1708

Pedro , nascido em 1711



Cap. IV - João Garcia Sodré , que passou ao Brasil


João Garcia Sodré , natural da Freguesia da Madalena , nascido em 1691 , casado ,  pelos anos de 1732 , com Anna Maria de Oliveira , nascida aos 24/07/1712 , filha de Francisco da Rosa Garcia , tanoeiro , nascido por 1667 na Vila da Madalena e falecido aos 9/2/1727 na mesma freguesia , não fez testamento , foi sepultado em “sepultura da Fabrica” da Matriz de Santa Maria Madalena e de sua mulher Isabel de Oliveira , nascida aos 30/05/1680 , falecida em 1714 e por esta , bisneta de Paulo Pais e de sua mulher Maria de Oliveira , ambos nascidos pelos anos de 1640 , fregueses desta.
Francisco da Rosa Garcia foi morador no povoado de Cabo Branco.
Francisco da Rosa Garcia foi casado na freguesia de São João Batista Ilha do Pico com Isabel de Oliveira.
João Garcia e sua mulher Ana Maria de Oliveira deixaram os seguintes filhos :

1) Manoel Garcia da Ressurreição , nascido a 4/4/1733 na Vila de Santa Maria Madalena, Ilha do Pico , Açores ,onde foi batizado no dia seis do mesmo mês e ano. Foi cc Ana Maria dos Reis e cc Rita Francisca de Oliveira em seu segundo matrimônio.
.
Dos registros de batizados , Arquivo da Horta , Faial , Açores :
.
"Manoel f.o de João G.sia [Garcia] e de sua m.er Anna M.a [Maria] /
naturais e freguezes desta Matriz desta V.a da Ma /
gdalena do Pico , nasceo aos quoatro dias do mez de /
Abril de mil e setecentos e trinta e tres annos e /
foi baptizado por mim o Cura Ignacio Furtado /
de M.ça [Mendonça] aos seis dias do dito mez e anno forão pa- /
drinhos M.el Gls e madrinha Anna Dutra m.er /
de Joseph ....... do Amaral forão testemunhas /
Ant.o de Souza e Ant.o Silveira todos desta Villa /
e p.a constar fiz este termo hoje dia mez e anno /
ut supra. O Cura
Ignacio Furtado de M.ça
Antonio de Souza
Antonio Silveyra.
(Sic)
[Colaboração de Helder Oliveira]
.
Manoel Garcia da Ressurreição, falecido em 26 de agosto de 1792, com 50 anos mais ou menos. Do seu testamento consta o seguinte : Era filho de João Garcia Sodré e de Ana Maria de Oliveira, batizado na freg. de Santa Maria Madalena, Ilha do Fayal, bispado de Angra [Madalena situa-se da Ilha do Pico] ; seus pais eram falecidos quando fazia o testamento. Foi ele casado 2 vezes: Primeira vez com Ana Maria dos Reis, viúva do falecido Antonio de Torres Quintanilha (tendo ela de seu primeiro matrimônio quatro filhos por nomes Manoel, Joaquim, José e Maria); ela possuía um sítio na freguezia de S. Rita do Ibitipoca que ele vendeu; dela teve quatro filhos, a saber, Francisco, João, Antonio e Inácio. Francisco ausentou-se dele há anos, e os outros o tem acompanhado. Contraiu ele segundo matrimônio com Rita Francisca de Oliveira, solteira, tendo desse matrimônio mais quatro filhos, a saber, Ana, Manoel, outra Ana, e José. Devia ele a um José Cardoso de Oliveira morador na paragem Jacareí, distrito da vila de Atibaia, Comarca da cidade de São Paulo. Nomeou seus testamenteiros: 1ð Bernardo José Simões, 2ð Cipriano Coelho de Souza. Foi o testamento escrito e assinado a rogo por João da Silva da Fonseca, sendo testemunhas Antonio Salgado de Lima e Manoel Salgado de Lima, em Sta. Ana, em 09-08-1788. (Notas resumidas extraídas por Jose Guimarães dos testamentos do 1ð livro de óbitos de Santa Ana do Sapucaí (Silvianópolis , MG , Brasil), de 1786 a 1815).

2) Jose Garcia Sodré , foi batizado em Prados , MG , aos 26/06/1737.

3) Domingos Garcia de Oliveira ou Sodré , nascido provavelmente em Carijós , atual Conselheiro Lafaiete , por 1737.

Foi casado na Capela do Turvo , Andrelândia , MG , aos 24/02/1767 , com Francisca Vaz Martins , natural do Turvo , Aiuruoca , MG , filha de Francisco Vaz Rodrigues , natural de Ponte de Lima , Portugal e de Ana Martins , natural de Baependi , MG.
Deixaram os filhos seguintes : Ana Martins que foi cc Antonio Jose da Silva , Tomé Martins que foi cc Ana Josefa e Manoel Martins de Oliveira que foi cc Rita Maria da Silva.

4) Ana Joaquina , nascida em Carijós (Conselheiro Lafaiete) , MG , por 1749.

5) Thereza Maria de Jesus , nascida em 1743,  em Prados , MG , que segue no capítulo seguinte

6) João Garcia de Oliveira , nascido em Carijós , MG, por 1741 , que foi cc Ana Maria de Melo , natural de São João del Rei , MG.

7) Vicente Garcia de Oliveira , nascido por 1750 em Barbacena , MG , que foi cc Rosa Maria de Souza , de Aiuruoca , MG.


Cap. V – A filha Thereza Maria de Jesus

Thereza Maria de Jesus foi batizada aos 17/02/1743 na Capela de São Braz da Ressaca , casou-se aos 19/09/1764 , "pelas sette horas da manhã" , na Matriz de Nossa Senhora da Conceição dos Prados , MG , com Manoel Barbosa Guimarães , nascido em 1732 na Freguesia de Santa Cristina de Longos, Termo de Guimarães, Arcebispado de Braga , Portugal , filho de Thomé Barbosa e de Maria de Freitas. Cuja família e descendentes seguem através do Capítulo II do seguinte Blog :

http://longos-sjdr.blogspot.com/
.
Do Arquivo Eclesiástico da Diocese de São João del Rei , MG :

CASAMENTOSLIVRO N.ð: 21.
CAIXA N.ð: 06.
TERMO DE ABERTURA:
"Este Livro há de servir p.a os assentos dos casamt. da Frg. a / de Nossa Snr.a da Conceyção dos Prados desta Com.ca do Rio / das Mortes o qual como vigr.ð da vara da mesma Com.ca / numerey e rubriquei com a minha rubrica = Sobral = / e na ultima folha leva o termo de encerramento. V.a de S. / João del Rey de 7br.ð 15 de 1750 / Joseph Sobral e Souza"RUBRICA: Sobral (Joseph Sobral e Souza)
DATA: 1750-1776
N.ð DE FOLHAS: 141
CONTEÚDO: Registro dos casamentos realizados na Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Prados e capelas filiais. Contém o nome dos nubentes, licença do impedimento de casamento por consaguinidade, o nome dos padrinhos e do celebrante.
ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Bom. Há presença de acidez e danos causados por insetos e a encadernação está se soltando.
TERMO DE ENCERRAMENTO:
"Este Livro q há de servir p.a os assentos dos cazam.tos / da frg.a de Nossa Snhr.a da Conceyção dos Prados desta / Com.ca do Rio das Mortes tem cento e trinta e nove / folhas, as quaes vão numeradas, e rubricadas por mim / como Vigr.ð da vara da mesma Comarca com / a minha rubrica = Sobral = sem couza q du- / vida faça. V.a de S. João del Rey de 7br.ð 16 de / 1750. / Joseph Sobral e Souza.
"OBSERVAÇÕES: Há junto ao livro, um livro de índice que foi elaborado posteriormente. Segundo a numeração encontrada na capa do livro, este é o de número 02.
.
Pág. 70
.
"M.el Barboza Guimarães e Tereza Maria de Jesus
.
Aos dezenove dias do mes de Septembro de mil sete centos sesenta e quatro annos , pelas sette horas da manhã , nessa Matriz de Nossa Senhora da Conceiçam dos Prados , em cuja freguezia a contrahente he moradora , sendo feita as denunciaçoens na dita Matriz e nas mais partes a onde se devião falar , sem se descobrir impedimento como consta de hua provisão do Reverendo Doutor Joseph Sobral e Souza , Vigário da Vara desta Comarca , que fica em meu poder , na forma do Sagrado Concilio Tridentino , na minha presença e das testemunhas João de Mattos , Agostinho Joseph Dias , outras muitas , se casarão por palavras de prezente e facie eclesie , Manoel Barboza Guimarães , natural e baptizado na freguezia de Santa Cristina de Longos , Termo de Guimarães , Arcebispado de Braga , filho de Thomé Barboza e de Maria de Freitas , com Thereza Maria de Jesus , natural e baptizada em Prados , filha legitima de João Garcia e Anna Maria de Oliveira e logo lhes dei as bençoens nupciais na forma do Ritual Romano e para constar fiz este termo , que assignei , dia , mez et supra.
O Vigário Manoel Miz da Costa.
João de Mello Costa.
Agostinho Joseph Dias".
(Sic).
.
.
[em construção]

[Fotos no rodapé]
.
Colaboradores :

Helder Manoel de Oliveira
..Inácia Picanço (Téc. prof. do Arq. da Horta)
    Neps
..

4 comentários:

  1. Roberto

    Não existem palavras para elogiar este teu capricho e amor pela genealogia.
    Este é um trabalho precioso e de amor. Só quem tem este dom, é capaz de ficar horas a fio pesquisando, pesquisando...
    Simplesmente pelo prazer de encontrar estas pessoas que não viveram em vão, por quem viveram? Com certeza por seus filhos e os filhos de seus filhos e nós.
    E esta é a retribuição que devemos a eles, um nome na nossa história da nossa vida.
    Muito obrigada, vc é um grande exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só o roto falando do rasgado ! rssrrs
      Obrigado e desculpe-me pela demora , somente hoje que recebi o aviso que havia comentário .... coisas da internet. Um abraço

      Excluir
  2. Roberto boa noite!
    Meu nome é Daniel Augusto Andrade Silva, sou descendente de Jaoquim Garcia de Andrade e Quirina Barbosa da Silva filha do cap. Antônio Barbosa Sandoval, gostaria de saber se você teria maiores informações sobre o Joaquim Garcia de Andrade. Sei que ele era das Gerais e nasceu por volta de 1792, 1798 ou 1801. Sera que ele seria descendente de qual ramo dos Garcia. Não consigo achar ligações.
    Encontrei no family search citações sobre um José Garcia de Andrade casado com Anna Joaquina de Senne e um filho deste casal de nome Antônio Garcia de Andrade. Ainda não consegui relacionar.
    Encontrei tbm sobre meu pentavô Joaquim na lista nominativa de 35/36 , ele era citado com sua família junto/abaixo dos fogos dos Barbosa Sandoval e antes do fogo do cap. Antônio Barbosa Sandoval.
    Por favor se tiver alguma informação sobre ele agradeceria muito.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Daniel , este assunto creio que não tem muito a ver com este blog , mas enfim , mande-me seu email para lhe enviar alguma informação. Um abraço

      Excluir